sábado, 2 de julho de 2011




A gente reclama muito da dependência, mas como é maravilhosa a dependência. Confiar no outro. Confiar no outro a ponto de não somente repartir as memorias, mas repartir as fantasias. Confiar no outro a ponto de esquecer quem se foi, sem que o outro esteja junto. É talvez chegar em casa e contar seu dia e só sentir que teve um dia quando a gente conta como foi. É como se o ouvido da outra pessoa fosse nossos olhos. Amar é uma confissão. Amar é justamente quando um sussuro funciona muito melhor que um grito. Amar é não ter vergonha de nossas dúvidas, é falar uma bobagem e ainda se sentir importante, é lavar louça e nunca estar sozinho, arrumar a cama e nunca estar sozinho, é aquela vontade danada de andar de mãos dadas durante o dia e de pés dados durante a noite.

Nenhum comentário: